9:00 - 18:00

Encontre-nos – Seg. – Sex.

(11) 94063-6534

WhatsApp

(11) 3129-8629

Agende um horário

Facebook

Twitter

Youtube

Pesquisar

Hipotermia

Com um avanço cada vez maior na proporção de idosos na população mundial e, por que não, na população brasileira devemos estar atentos às particularidades a que esta crescente fatia da sociedade esta sujeita. Assim, há também particularidades a serem consideradas em relação às variações de temperatura ambiental dentro do contexto desta população, visando a prevenção de desfechos desfavoráveis.

Automedicação

Quais são os perigos de tomar remédio sem prescrição médica? <!--more--> [vc_empty_space height="22px"][vc_column_text] <div id="corpoDaNoticiaBox" class="conteudo_texto"> Paulo Camiz: Os perigos são inúmeros e irão variar de acordo com a medicação e a quantidade ingerida. Nesse caso, deve-se estar atento principalmente a faixa etária geriátrica, que está sujeita a uma gama maior de efeitos adversos e desfechos desfavoráveis.   Existem remédios que podem ser tomados, de maneira segura, sem prescrição médica? Paulo Camiz: Não. Nem com prescrição médica e muito menos sem a mesma. O que existem são remédios que podem causar menos efeitos adversos que outros.   Usar remédios indiscriminadamente pode piorar o problema? Paulo Camiz: Sem dúvida. Principalmente se...

Continue lendo

Quedas

Podendo ser definida como um deslocamento súbito e não intencional para um plano inferior, as quedas são uma grande síndrome geriátrica e nessa faixa etária assumem uma importância enorme. Além do desfecho que pode se originar de uma queda, ela representa um importante marcador da fragilidade daquele idoso. <!--more--> [vc_empty_space height="22px"][vc_column_text] <div id="corpoDaNoticiaBox" class="conteudo_texto"> Nem todas as quedas resultam em lesões maiores. Mas deve-se raciocinar além da lesão direta. O trauma, pode resultar em complicações mecânicas, como uma fratura (a de fêmur é a mais temida) ou um hematoma, por exemplo. Uma simples queda, ainda que não cause complicações físicas maiores, pode e frequentemente resulta...

Continue lendo

O que é a geriatria?

Achei que seria fundamental escrever um texto, que de forma objetiva responda ao que para mim significa a minha razão de viver. Objetivamente: a geriatria nada mais é do que a especialidade médica que cuida das doenças mais prevalentes no envelhecimento e dos desdobramentos dessa fase da vida. <!--more--> [vc_empty_space height="22px"][vc_column_text] <div id="corpoDaNoticiaBox" class="conteudo_texto"> O geriatra possui a formação de um clínico geral estando também apto a atender as doenças mais prevalentes desde a idade adulta e uma segunda especialização, nas doenças da terceira idade e nos desdobramentos do envelhecimento. Quando se refere à pressão alta ou a infarto, logo se visualiza um cardiologista.  Quando se pensa...

Continue lendo

Qual é a temperatura mais baixa que o ser humano pode suportar?

Qual é a temperatura mais baixa que o ser humano pode suportar?

Você é do tipo que não consegue entender como seu amigo consegue sair de bermuda e camiseta em uma manhã fria, enquanto você está coberto da cabeça aos pés? Então, certamente, já deve ter pensado por que isso acontece e qual é a menor temperatura que conseguimos suportar.

Como lidar com o paciente bravo

Muitos curiosos me perguntam se há alguma estratégia médica para lidar com um paciente (ou familiar) “bravo”. Ainda que não exista uma fórmula mágica, acho que valem algumas considerações sobre o tema. Em primeiro lugar é importante responder à pergunta: se esse paciente é bravo ou se ele está bravo? <!--more--> [vc_empty_space height="22px"][vc_column_text] <div id="corpoDaNoticiaBox" class="conteudo_texto"> Freqüentemente eu faço essa pergunta literalmente: “o senhor está bravo por algum motivo?” Esse é o principal divisor de águas da relação, seja ela com o paciente ou com o seu familiar. Você está separando a situação em que a personalidade da pessoa é o problema de uma situação...

Continue lendo

Cuidados importantes para a convivência com o portador de Alzheimer

Como lidar? Conheça alguns cuidados importantes para a convivência com o portador de Alzheimer

Após o diagnóstico de Alzheimer, é inevitável perguntar-se: “O que fazer agora?”. Já que o paciente precisará sempre ter uma companhia, seja de um cuidador profissional ou de um familiar, é importante também tomar alguns cuidados para melhorar a convivência e evitar alguns problemas que podem ocorrer pelo caminho.

WhatsApp chat