Quando se fala em manter a saúde em dia, os pulmões nem sempre são lembrados. Porém, cuidar do principal órgão do sistema respiratório é essencial para garantir qualidade de vida e evitar doenças sérias. Para ajudar nessa tarefa, alguns hábitos são fundamentais e devem ser levados a sério.

Para o Dr. José Roberto de Brito Jardim, chefe da disciplina de Pneumologia da Escola Paulista de Medicina da Unifesp (Universidade Federal de São Paulo), o primeiro passo para manter o órgão saudável é não agredi-lo. “Em geral, os pulmões nascem sadios. O que acontece é que muitas pessoas alteram suas condições por meio do fumo, da poluição, da utilização de produtos químicos nocivos etc.”

O pneumologista ressalta que o cigarro tem mais de 4 mil substâncias nocivas à saúde, por isso é importante se manter longe dele. “Nos primeiros anos, os tabagistas não têm lesões pulmonares, mas, após dez ou 15 anos, apresentam consequências sérias”, afirma.

Segundo o Dr. Paulo Camiz, clínico geral e professor do Hospital das Clínicas da USP (Universidade de São Paulo), até mesmo produtos de limpeza podem fazer mal ao sistema respiratório. O médico explica que atividades do cotidiano, principalmente relacionadas ao trabalho, podem trazer complicações em longo prazo. “São comuns as doenças ocupacionais, que atingem trabalhadores de minas de carvão ou os pedreiros que se expõem ao amianto, por exemplo. Às vezes, na sua própria casa, você utiliza produtos para higienizar ambientes que prejudicam a saúde dos pulmões.”

Existem, ainda, outros fatores que facilitam o aparecimento de doenças pulmonares. Segundo o Dr. Jardim, pacientes com refluxo têm mais chances de danificar o órgão, pois o ácido do estômago pode chegar às vias aéreas, causando asma e fibrose pulmonar, entre outros males. Pessoas que têm rinite e não a tratam apresentam mais crises de asma. Até mesmo a falta de higiene bucal pode afetar os pulmões: “A pessoa aspira as bactérias, causando abcesso pulmonar”, explica o médico.

Além de evitar práticas nocivas, alguns hábitos saudáveis podem contribuir para a boa funcionalidade dos pulmões. Entre eles, praticar atividades físicas regularmente ajuda o organismo a produzir substâncias antiinflamatórias. Além disso, faz com que os alvéolos recebam uma quantidade maior de ar. O Dr. Camiz alerta para a importância de se exercitar de forma adequada: “O ar seco não faz bem às vias respiratórias. É importante se hidratar, e evitar exercícios em horário de pico de calor”.

A alimentação também é uma boa aliada da saúde, não apenas do pulmão. Uma dieta balanceada, com proteínas, carboidratos, sais minerias e vitaminas, melhora a imunidade e a resistência.

Outras medidas importantes para proteger os pulmões são, no inverno, evitar ficar em ambientes fechados com pessoas que têm alguma doença das vias respiratórias, como gripe e resfriado. Idosos e pessoas com baixa imunidade ou doenças pulmonares crônicas podem reforçar a imunidade por meio de vacinas específicas.

Artigo publicado no portal: Previna-se