Sobre a polêmica quanto ao uso ou não uso dos derivados de maconha na prática médica, o que dizer?

Posso dizer que sou a favor da boa utilização! Explico-me.

Com certeza o nosso leitor já ouviu falar nos males de uma planta chamada ópio. Sendo assim, imagino que ninguém seja diretamente a favor do uso indiscriminado desta planta ou mesmo de seus derivados. E quais seriam esses derivados? A morfina e seus analgésicos relacionados! Exatamente.

Sabendo fazer uso, os derivados de ópio podem proporcionar alívio da dor e de outros sintomas e proporcionar um máximo de conforto.

Fazendo o mal uso ele pode causar dependência e inclusive levar ao óbito… O uso adequado e o uso inadequado….

A meu ver, o mesmo vale para os derivados da maconha ou cannabis, os canabinóides!

Vejo meus colegas médicos responsáveis e criteriosos obviamente contra o uso medicinal da erva, mas a favor do uso bem indicado dos seus derivados purificados. Qualquer medicamento pode ser bem ou mal indicado e pode fazer bem ou mal a depender da maneira prescrita e/ou utilizada!

Não ao uso do ópio, mas sim do uso adequado dos opióides.

Não ao uso da maconha, porém sim ao uso consciente e adequado dos canabinóides! Bem como, sim ao uso correto das drogas/medicações em geral, sejam elas derivadas de um produto natural ou sejam elas sintéticas!

7 dicas para se manter saudável aos 50 anos

As pessoas estão vivendo mais. Os 50 anos são os novos 40; os 40, os novos 30 e assim por diante. No Brasil, a população acima de 50 anos cresce o dobro em relação a outras idades (3% contra 1,5%) e o país já conta com mais pessoas acima dos 50 do que com jovens de zero a 14 anos. Daí a questão: como fazer dessa década a melhor da vida?

 

Leia mais

Os 50 são os novos 30: veja sete dicas para manter a vitalidade

Especialistas dão dicas para manter a funcionalidade e a qualidade para viver bem sem depender de ninguém.

 

Leia mais

Convidado para participar do programa Você Bonita na TV Gazeta, o Dr. Paulo Camiz esclarece dúvidas sobre a ferritina. Confira no link abaixo o vídeo completo.

Quais são os perigos de tomar remédio sem prescrição médica?

Paulo Camiz: Os perigos são inúmeros e irão variar de acordo com a medicação e a quantidade ingerida. Nesse caso, deve-se estar atento principalmente a faixa etária geriátrica, que está sujeita a uma gama maior de efeitos adversos e desfechos desfavoráveis.

 

Leia mais

Achei que seria fundamental escrever um texto, que de forma objetiva responda ao que para mim significa a minha razão de viver. Objetivamente: a geriatria nada mais é do que a especialidade médica que cuida das doenças mais prevalentes no envelhecimento e dos desdobramentos dessa fase da vida.

Leia mais

Em primeiro lugar é importante responder à pergunta: se esse paciente é bravo ou se ele está bravo?

Muitos curiosos me perguntam se há alguma estratégia médica para lidar com um paciente (ou familiar) “bravo”. Ainda que não exista uma fórmula mágica, acho que valem algumas considerações sobre o tema.

Leia mais

Toda a incontinência pode ser controlada desde que haja condições físicas de se chegar ao banheiro e desde que haja capacidade intelectual/cognitiva suficiente para compreender as orientações abaixo. Apesar das orientações serem simples, não se exclui aqui, a necessidade de se realizar uma avaliação e acompanhamento médicos.

 

Leia mais

Frequentemente vêm ao meu consultório, pacientes em busca de fórmulas mágicas ou então em busca de vitaminas ou, mais do que isso e até em resumo dessas preocupações, algo que os faça deixar de envelhecer. O famoso anti-envelhecimento ou como se diz em inglês, o “anti aging”, ainda está longe de ser uma realidade.

Leia mais

Vacinas, vitamina D e teste de alergia garantem pulmões saudáveis

É só o tempo virar para o peito começa a chiar e faltar o ar. Quem sofre de asma sabe o quão agoniantes esses sintomas podem ser. No Brasil, cerca de 16 milhões de pessoas sofrem com a doença. Marcada por uma forte dificuldade em respirar, a crise de asma é provocada por uma reação inflamatória nos brônquios, os tubos que levam o ar respirado até os pulmões. Em resposta a essa inflamação, eles ficam mais estreitos, dificultando a respiração.

Leia mais